Conheça Histórias de assombrações em João Pessoa, PB

Dia 31 de outubro pode ser um dia normal de trabalho e lazer para muitas pessoas, mas também pode ser uma data bastante significativa, para aqueles que acreditam em contos recheadas de mitos, fantasias e, até quem sabe, verdades sobre a ´visita´ de fantasmas, seja em cemitérios ou locais históricos, como no Parque Sólon de Lucena (Lagoa) ou no Teatro Santa Roza. 
Tudo fica mais interessante quando a data cai numa sexta-feira, a exemplo do que acontece neste ano, quando se comemora o Dia das Bruxas ou Festa de Halloween, como é difundido pelos Estados Unidos.
Em João Pessoa, muitos relatos de manifestações sobrenaturais permeiam o imaginário coletivo e atravessam gerações, como é o caso da ´Mulher fantasma da Lagoa´. 
Reza a lenda que uma jovem muito bonita fazia um passeio de barco com o namorado, quando ele tentou possuí-la. Como a moça resistiu, foi lançada nas águas e se afogou. A partir daquela data, um fantasma começou a aparecer pedindo carona. 
Consta, entre os relatos, que dois condutores de veículos, seduzidos pela assombração, foram levados à morte: um na barreira da Praia do Cabo Branco e o outro na própria Lagoa, encontrado afogado dentro do carro submerso. Por conta disso, os homens da cidade, que conhecem o caso, não dão carona a mulher bonita, principalmente a partir da meia-noite...
Outro caso bastante conhecido envolve uma das mais importantes casas de espetáculos da Paraíba, o Teatro Santa Roza, inaugurado em 1889. Segundo relatos de funcionários do próprio lugar, as manifestações dos mortos no mundo dos vivos começaram antes da construção. 
Dizem que a área onde o teatro foi construído era marginalizada e existem boatos de que pessoas foram assassinadas e enterradas na praça, em frente ao imóvel. 
Com isso, surgiram ao longo dos anos relatos de fenômenos de poltergeist, ou seja, portas e janelas que se abrem, além de vultos que aparecem e somem de repente, amedrontam pessoas mais sensíveis que andam pelo local, especialmente à noite.
Verdade ou mentira? Não tem como avaliar, afinal, cada pensamento vai de acordo com a crença de cada um. 
Enquanto não se chega a um senso comum, esses contos continuam passando de geração a geração e são contados e recontados pelos antigos aos mais novos, principalmente no dia 31 de outubro, quando o tema torna-se em evidência em grande parte do país e do mundo.

Share on Google Plus

About Wesley Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário