Casa de 9.000 anos encontrada na Ilha de Man, Reino Unido



Construída 3.000 anos antes de Stonehenge, esta é a mais antiga
casa preservada da Grã-Bretanha.

Os restos do abrigo, descoberto na ilha de Man, proporcionam uma rara janela para a vida doméstica dos caçadores-coletores de 9.000 anos atrás.

Revelada por acidente durante o trabalho de extensão da pista do aeroporto da ilha, o abrigo de 7 metros, guarda extraordinários segredos arqueológicos.

Mais emocionante é a revelação de que os povos do Mesolítico, considerados como nômades, que vagavam na antiga Bretanha em busca de alimentos, eram realmente ótimos construtores.

Na verdade, 12.000 peças de sílex trabalhado, junto com um arsenal de ferramentas, revelam que a casa era usada por longos períodos de tempo.

Sem mencionar os montes de avelãs e conchas, encontrados ao redor da casa - um forte indício de que era usada como refeitório pelos antigos habitantes.

Pensa-se que os restos foram descartados, lançados ao fogo, e depois arrastados para fora da casa em um antigo ritual doméstico.

Um anel de buracos ao redor, juntamente com madeiras carbonizadas, sugere a construção de uma cerca de seis polegadas de espessura.

O arqueólogo e pesquisador de campo do Manx National Heritage, Andrew Johnson, confirmou que a construção mostra que as pessoas a usavam por longos períodos.

"sabemos que há 8.000 anos, as pessoas eram nômades, recolhendo seu alimento da terra, antes que o cultivassem e colhessem,' disse.

"Mas este edifício foi construído de substanciais pedaços de madeira, e tinha um forno para cozinhar e lareira.

Os seus ocupantes estiveram aqui frequentemente, tempo suficiente para deixar para trás mais de 12.000 peças de sílex trabalhado, e as ferramentas necessárias para processar os alimentos, e restos na forma de centenas de montes de avelãs ", acrescentou.

O gerente do projeto, Fraser Brown, da Oxford Archaology North, disse ao Discovery Channel que as avelãs eram uma excelente fonte de alimento para uma família antiga.

'"As avelãs são uma fonte abundante e altamente nutritiva de alimento, poderiam ser facilmente recolhidas no Outono e armazenadas para o consumo nos magros meses de inverno," ele disse.

A casa revelada em Ronaldsway, tem alguma semelhança com as tepees dos índios norte-americanos e as yurts dos mongóis, que podem ser utilizadas durante todo o ano. Foi construída no período Mesolítico, que abrange desde o fim da última era glacial em 10.000 a.C. até o início do cultivo em 4.500 a.C.

Nessa época, sofisticados grupos de caçadores-coletores se mudaram para o norte das ilhas britânicas quando o clima melhorou. Usavam lanças e arpões para pegar alimentos.

"Eles provavelmente tinham uma base permanente junto ao mar para que pudessem ter acesso fácil aos recursos marinhos", disse Brown.

'Mas, dada a pequena dimensão da ilha de Man, seria uma questão de simples incursão terrestre para explorar os diversos recursos disponíveis. "

Ele disse que os moradores chegaram à ilha de barco, e provavelmente não teriam perdido tempo longe de casa, porque poderiam obter tudo o que precisavam localmente, essa poderia ser a razão para criar um lar permanente.

Embora os arqueólogos afirmem que esta é a mais antiga habitação encontrada na Ilha de Man, eles ainda aguardam os testes de radiocarbono.



Fonte: Daily Mail/arquivosdoinsolito
Share on Google Plus

About ♰†♰Death Angel♰†♰

0 comentários:

Postar um comentário