Misteriosas esferas em fotos intrigam pesquisadores

Esferas cercam uma mulher em Manhattan. Dois círculos podem ser vistos na esfera maior quando olhada de perto (Cortesia de Joanne)



Membros de um grupo Meet-Up muitas vezes capturam esferas em suas fotos (Cortesia de Spirit St. John)
Uma esfera que não foi causada pela luz refletida em um documentário da BBC, de acordo com pesquisadores. Os pesquisadores não puderam fornecer uma explicação científica para o aparecimento da esfera (Screenshot/u.arizona.edu)


Uma esfera paira perto do chifre de um boi à esquerda. É comum que a esfera apareça na frente, porém há uma sombra do chifre sobre a esfera (Cindy Drukier / Epoch Times)
Esferas são vistas no Teatro Regent em Melbourne, Austrália, após a performance do Shen Yun Performing Arts (Epoch Times)



Esferas são vistas na Nova Zelândia perto do assentamento da tribo Ngati Mamoe, que não existe mais (Wikimedia Commons)


 Esferas que o fotógrafo disse terem sido causadas pela chuva (Wikimedia Commons)
Esferas que o fotógrafo disse terem sido causadas pela poeira que ele intencionalmente chutou para cima (Wikimedia Commons)



 
 
Pesquisadores mostram que algumas esferas são anômalas, e não podem ser explicadas como sendo reflexo de luz.


 
 
Muitas pessoas capturam manchas luminosas em suas fotos. Essas manchas são comumente conhecidas como esferas, ou órbitas.


Algumas pessoas explicam as esferas como luz refletida em superfícies circulares, outros como luz refletida em partículas de poeira, e outros as explicam como espíritos ou outras entidades normalmente invisíveis ao olho humano.


Pouca pesquisa tem sido feita sobre este fenômeno, mas o Dr. Gary E. Schwartz e a professora pesquisadora de ciências óticas Katherine Creath da Universidade do Arizona publicaram um estudo sobras as esferas em 2005.


Eles disseram que a maioria das esferas podem ser explicadas como reflexo do flash da câmera em objetos da cena, ou na poeira. No entanto, Schwartz e Creath reconheceram que algumas esferas desafiam a explicação óptica convencional.


Uma esfera capturada em um documentário da BBC, por exemplo, se movia lentamente, antes de desaparecer. Schwartz e Creath escreveram: “Não é possível explicar tais esferas que se movem de forma dinâmica e imprevisível como sendo causada por reflexos. Também não é possível explicá-las como sendo partículas de poeira no ar.”


Este documentário foi filmado com uma câmera infravermelha de alta qualidade montada em um tripé, o que elimina alguns dos fatores que os pesquisadores dizem terem gerado as esferas em câmeras de baixo custo.
 

 Schwartz e Creath continuam: “Não é nem lógico nem responsável, concluir que toda esfera observada pode ser explicada pela convencional ciência ótica como um reflexo perdido.”


Na opinião deles, a maioria das esferas pode ser explicada pela ciência óptica convencional, e novas explicações para as esferas podem se desenvolver.




Fonte: Epoch Times
Share on Google Plus

About Wesley Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário