Top 5 - Os jogos mais violentos do mundo

Cada vez mais jovens, crianças, adultos e idosos jogam mais e mais jogos, seja eles em seus vídeo games ou no computador, é por isso que trazemos para vocês uma coletânea com alguns jogos bem pesados no quesito violência, vale salientar a recomendação desses jogos para maiores de 18, então se você tem um filho ou um neto que joga, fica de olho no que ele anda jogando.



Há quem diga que a violência em jogos eletrônicos influencia o comportamento humano, mas nada é muito provado, então segue uma lista de jogos extremamente violentos que certamente você não gostaria que um(a) filho(a) ou um neto(a) seu jogasse.

5 - Soldier of Fortune 1


A história envolve o roubo de armas nucleares , eo inimigo principal acaba por ser um Afrikaner neonazista grupo baseado na Alemanha , liderada por Sergei Dekker.


No início do jogo, terroristas roubar quatro armas nucleares a partir de uma instalação de armazenamento na Rússia, e continuar a vendê-los para várias nações.

Este é um prelúdio para a aquisição de avançadas armas de destruição em massa por este grupo terrorista. John Mullins, que trabalha para uma norte-americana mercenário organização ("soldado da fortuna"), conhecido apenas como "The Shop", e seu parceiro, Aaron "Hawk" Parsons, são designados para impedir que as armas nucleares caiam nas mãos erradas, e parar os terroristas em seus planos.


O jogo conta com um sistema de mutilações, os inimigos perdem partes do corpo ao serem atingidos em determinados locais, como pernas, braços, etc...


4 - Mortal Kombat


 O jogo sacudiu o mercado dos games no início da década de 1990 ao incorporar violência gráfica (com abundância de sangue) ao gênero dos jogos de luta, atraindo um público mais adulto. A franquia foi criada por Ed Boon e John Tobias, que colocaram os primeiros fliperamas nas lojas em 1992. A partir daí, o título migrou para os consoles e, alguns anos depois, começou a gerar filmes, séries, bonecos e histórias em quadrinhos.




O primeiro game chamou atenção também por empregar uma técnica de maneira aprimorada, que havia sido explorada anteriormente no game Pit Fighter: a digitalização de atores para interpretar os personagens, gerando "sprites" realistas (os quadros da animação de lutadores). Esses personagens exóticos (a primeira leva era composta por Liu Kang, Johnny Cage, Sonya, Kano, Sub-Zero, Scorpion e Rayden, mais os não jogáveis Goro, Shang Tsung e Reptile) possuíam segmentos especiais de animação, chamados "Fatality", que consistiam em golpes fulminantes de finalização, para ilustrar o final do confronto.

O game também popularizou os "easter eggs",  as supresas escondidas, nos jogos eletrônicos. Personagens secretos e situações que dependiam da troca de informações entre os jogadores para sua execução, como os "Fatalities", logo a tornaram uma das máquinas mais comentadas nos arcades.
A existência dessas surpresas iniciou também uma série de boatos a respeito do título. Mortal Kombat era o campeão das "lendas de arcade", com pessoas jurando que podiam-se destravar ainda mais personagens secretos, que os cenários sofriam alterações, etc. Enquanto isso, as fichas iam sendo consumidas...


Tais marcas continuaram ao longo das duas décadas de Mortal Kombat, sendo melhoradas (ou pioradas, no caso dos infames "babality" ou "friendship") nos próximos games.

3 - Postal 2
Em Postal 2 você assume o papel de Postal Dude, um carteiro que além de azarado (pois está sempre no lugar errado na hora errada), também é bem fora do comum. Você tem um desafio: viver por apenas uma semana na pele deste homem entregador de cartas.
Postal Dude sai pelas ruas da cidade e caminha livremente por onde quer, do jeito que quer e fazendo o que quer. Mas lembre-se: violência gera violência. Se você começar a se enrascar com qualquer um pelo caminho, segure a onda porque a reação é certeira! Esteja preparado para cometer suas atrocidades com os mais diversos tipos de personagens, que certamente irão retrucar de alguma maneira. Cumpra suas missões e continue caminhando!
Com ou sem armas, você decide seu modo de ser nas ruas. Postal 2 oferece ao jogador a liberdade de jogar do jeito que quiser. Você pode simplesmente agir como um carteiro comum ou como um carteiro encrenqueiro, mal-encarado e extremamente violento - a escolha é sua!


O jogo possui gráficos renderizados em terceira dimensão e diversos personagens para você interagir da maneira que quiser (com ou sem pancadaria): árabes, padres, elefantes, policiais e muitos outros tipos.


Proibido em muitos países por ser considerado violento, o jogo pode ser jogado de modo pouco agressivo, até mesmo sem armas. As missões possuem sempre um modo alternativo para serem feitas, sem o uso da violência.

2 - Carmageddon

  
Carmageddon é um jogo essencialmente anárquico, você é posto em uma corrida aparentemente normal, mas sem limites. O jogador pode optar por atropelar os pedestres ou destruir seus adversários se não agradar o simples "completar a volta em menos tempo". Vencer as provas pode se dar de três maneiras diferentes; Completando as voltas no tempo, matando todos os pedestres da prova ou destruindo os carros adversários. A cada corrida o jogador tem um tempo para completar a prova. Esse tempo pode aumentar de acordo com a quantidade que você coleta de bônus, entre: checkpoints, danos aos competidores, pedestres atropelados, formas de atropelamentos ou objetos bônus.
Em muitos países (incluindo Alemanha e Inglaterra) Carmageddon foi lançado com o conteúdo de violência limitado ou censurado, trocando os seres humanos por zumbis ou robôs. A versão brasileira não incluía essa modificação, porém, ao instalar era necessário à criação de uma senha, só com ela era permitido jogar com seres humanos (modo sangue), sem ela o game era iniciado com a versão de robôs.


Porém, mesmo com senhas de segurança, o game acabou sendo proibido no Brasil, o alto nível de carnificina e violência explicita foi o bastante para que em menos de uma semana o governo brasileiro retirasse o produto das prateleiras.


A atitude do governo teve o efeito contrário ao esperado: com a proibição, Carmageddon se tornou um dos mais conhecidos jogos já lançados no Brasil, tendo circulado diversas cópias do mesmo após a veiculação da notícia da proibição do jogo. Na televisão a notícia mostrava cenas do jogo, o que fomentou a curiosidade daqueles que nem conheciam o produto.

1 - Hatred

 Hatred é um videojogo de tiros que está sendo produzido pelo estúdio polaco Destructive Creations e planeado para ser editado em 2015 para Microsoft Windows.
O jogador controla um vilão, um assassino em massa, que odeia a humanidade e a partir daí começa uma "cruzada genocida", para matar civis inocentes e policias. O produtor descreveu Hatred como a reação às tendências estéticas nos videojogos como o politicamente correto, a cortesia, as cores vivas e a descrição de jogos como arte.


O jogo foi revelado em Outubro de 2014 com um pequeno vídeo e caracterizado como "controverso" por múltiplos jornalistas da indústria, devido à sua violência explicita. Em Dezembro de 2014, Hatred apareceu por uns tempos no Steam Greenlight, mas foi logo removido, com um representante da Valve a dizer que a companhia "não publicara Hatred". No entanto, no dia seguinte o jogo regressou ao serviço. 



Agora é só aguardar seu lançamento o jogo promete ser extremamente violento ou esse espaço nesta postagem terá sido em vão.





Share on Google Plus

About Wesley Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário