A Morte de Jeff


Silêncio...O que eu mais gostava na noite, no momento estava virando o meu pior tormento... Chovia forte, e os buracos do teto da casa que me escondia durante o dia pingavam, encharcando o piso mofado do lugar... Lugar tão vazio quanto a minha existência... Fazer as pessoas dormirem? Por quê? Vingança? Insanidade? Raiva? Nem eu sabia a resposta...



Minha faca, fiel companheira de longínquas noites, brilhava com o brilho da noite, deixando-se ver as gotas de sangue secas, de muitos e muitos assassinatos...A lâmina, já escurecida pelo tempo, ainda refletia o último homicídio... foi excelente, digo até que delicioso, cravar a faca naquela mulher... cortar sua jugular, pouco a pouco, o sangue espirrando, uma última tentativa de falar algo, cortada junto com a sua garganta...os membros sendo cortados pouco a pouco, os olhos de pânico da mulher em minha direção. Quando abri seu ventre, e cavoquei com minhas mãos suas vísceras, ela não aguentou, faleceu, e eu somente observei, com um olhar enlouquecido, e de repente veio... aquilo. Aquela dor do que eu poderia chamar de coração, estava lá, aguda, dolorida, fazendo eu ter vontade de arrancá-lo a facadas... Aquele sentimento... Remorso...como eu, um ser sem sentimentos, sentir remorso?

Após isso, veio gradativamente... Culpa.

"Você matou seus pais Jeffrey".

"Você Matou seu irmão, que sacrificou-se para que você estivesse livre".

"Como pode ter feito isso? Eram todos inocentes".

- CALA A BOCA, CALA A BOCA,CALA A BOCA!!!

Aqueles pensamentos me assombravam,como fantasmas que saíam de suas tumbas para incomodar os vivos. Veio em minha mente, o meu outro eu, o lado humano, a parte boa, que achei que tinha destruído, após o meu incidente mas estava errado...

O Jeffrey, que poderia ter vivido, o Jeffrey que poderia ter sido uma criança normal...vivido alegre com seus pais, e seu irmão...

"Olha o que se transformou, em um ser que mata sem sentido, que vaga sem rumo, em uma busca interminável por uma vingança sem sentido"

"Você simplesmente virou um fantasma do que era"

Esse turbilhão de pensamentos, vieram acompanhados de todas as mortes... Passando rapidamente em minha mente... Cada gota de sangue, cada grito de dor, cada vítima, vieram a tona, e esse turbilhão me doía até o fundo da alma...

- FAÇA PARAR, FAÇA PARAR!!!!!

Eu gritava, desesperado, implorando, para que aquilo saísse de minha mente...

"É um caminho sem volta Jeffrey, agora viva com isso"

Olhei então, para a faca, caída no chão, por causa do meu súbito desespero...

Eu poderia parar com aquilo, poderia... "preciso acabar com essa dor", pensei... Peguei a faca, olhei-a por um instante, e então, a faca que eu usara para cometer a morte alheia, estava prestes a cravar em seu próprio mestre... Peguei a faca, e dei-me uma primeira facada.

A dor física ainda não superava a dor dentro de mim mas a cada facada, mais lágrimas caiam, e cada vez a dor dentro de mim passava... então, até que, exausto demais para continuar, caí, no chão úmido...

A chuva caía por um buraco, e conseguia olhar o brilho da lua...que mesmo com as nuvens, veio admirar minha desgraça...aos poucos, meus olhos sem pálpebras, ficavam pesados, e aquela sensação, semelhante a uma paz interior vinha...
então, veio a voz, calma e serena...

Vá dormir Jeffrey,Vá dormir...



Fonte: EutanasiaMental
Share on Google Plus

About Wesley Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário