Caçador argentino diz que matou extraterrestre

 Abrigo de caça de Alberto Tavernise / Reprodução/Facebook
 Supostas marcas deixadas no solo por nave alienígena. Foto: Reprodução/Facebook


Alberto Tavernise, de 59 anos, conta que perseguiu grupo de alienígenas após ter sido abduzido.
Embora a história pareça saída de um filme de ficção-científica, um argentino de 59 anos garante que matou uma criatura extraterrestre enquanto estava caçando. O caso teria acontecido a cerca de 20 km de Santa Rosa, capital da província de La Pampa, há alguns meses.


Tudo começou no dia em que Alberto Tavernise notou um movimento estranho na área em que caçava. Quando percebeu, estava rodeado por cinco alienígenas. 
“Eram cinza, com quatro dedos nos pés e mãos, medindo aproximadamente um metro e quinze centímetros. Eram como se vê nos filmes”, explicou ao jornal “Crónica”.


Este primeiro encontro terminou sem incidentes, mas Tavernise disse que, pouco tempo depois, as criaturas foram até sua casa e o sequestraram. Após ser libertado, ele decidiu se vingar e perseguiu os alienígenas.
Ao encontrar o grupo, ele afirma ter matado o extraterrestre que chamou de “o explorador”, porque "sempre ia à frente dos outros".


Alberto tentou pegar o corpo do pequeno alienígena após abatê-lo, mas foi atacado pelos companheiros do ser e fugiu. Pouco depois, o caçador voltou ao lugar, mas não conseguiu recuperar o cadáver porque o E.T. “foi levado em uma nave”.


Como outras vítimas de suposta abdução por extraterrestres, o argentino afirma que ficou com sequelas como sensibilidade nos olhos, dor de cabeça e insônia. Assim como a polícia da localidade, os vizinhos de Alberto mantém silêncio sobre o caso.
 

Share on Google Plus

About Wesley Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário