Camponeses que plantavam abacates encontram pirâmide pré-hispânica no México



A base retangular da pirâmide tem quatro metros de altura, 14 metros de largura por 20 de comprimento, seis degraus escalonados e está em bom estado de conservação.

Dois agricultores mexicanos que estavam procurando um lugar para plantar abacates descobriram uma pirâmide do Período Clássico (300 a 850 d.C.) coberta com plantas daninhas em um campo localizado no estado de Michoacán, informou o Instituto Nacional de Antropologia e História do México (INAH).

A descoberta foi feita na cidade de Ario de Rosales, na comunidade de Tipitarillo, a três semanas atrás, quando os agricultores José Humberto Téllez e Apolinar Piceno Guillen, atravessando uma horta, encontraram a estrutura, que fotografaram. Os dois levaram as fotos aos escritórios do INAH em Michoacan.

O arqueólogo mexicano Roberto Gonzalez então se deslocou ao local e confirmou que era uma 'yácata "(uma base retangular que combina elementos semicirculares)," disse a agência em uma declaração.

A base retangular da pirâmide tem quatro metros de altura, 14 metros de largura por 20 de comprimento, e seis degraus escalonados e está em bom estado de conservação.

O monumento tem uma "possível influência" da cultura Teotihuacan, disse Gonzalez, acrescentando que o sitio pode ter outras ruínas que estão na fase de exploração.

"Por seu tipo de construção e materiais, a estrutura é muito semelhante a pirâmide encontrada na Zona Arqueológica de Tingambato perto de Patzcuaro, que é de 35 metros de base por 9 metros de altura", disse o especialista.

A "yácata" teve duas etapas de construção, a base menor está melhor preservada, pois, aparentemente, numa fase tardia a parte superior foi removida para a agricultura.

"Naquele momento chegou a 25 metros de comprimento por 20 de largura, e sua altura poderia ter sido de seis ou sete metros", disse o arqueólogo.

No território hoje ocupado pelo Estado mexicano de Michoacán, em tempos pré-hispânicos se desenvolveu a cultura Purépecha.

No entanto, na área do México "há regiões Mazahua, Nahua e Otomí, e é difícil dizer neste momento qual destas culturas é responsável pela estrutura piramidal", disse o pesquisador.

"A primeira coisa que temos que fazer é registrar as principais características do lugar através de uma pesquisa sistemática, e estabelecer um projeto para uma investigação mais aprofundada", disse ele.

O México tem mais de 100.000 sítios arqueológicos, uma vez que floresceu no país importantes culturas indígenas como os Maias, Toltecas, Olmecas e astecas.


Fonte: Terra Chile/arquivosdoinsolito
Share on Google Plus

About ♰†♰Death Angel♰†♰

1 comentários:

  1. Que massa! Adoro a história dos povos antigos, como astecas e maias!

    ResponderExcluir