A maldição de Poltergeist - acidentes misteriosos e mortes repentinas


Poltergeist — O Fenômeno, refilmagem do clássico de 1982 de mesmo nome, chega aos cinemas nesta quinta-feira (21) e, claro, os fãs de terror estão ansiosos para ver se o novo filme é tão interessante quanto o original, que marcou época ao assustar pessoas de várias idades. E com a estreia do remake, voltou à tona outro assunto: a maldição de Poltergeist! O termo, bastante usado na internet, se refere a acontecimentos e mortes estranhas envolvendo pessoas que participaram do filme. Veja a seguir!




A morte da pequena Heather O'Rourke

A atriz mirim conquistou o mundo como a fofa Carol Anne, garotinha que tinha o dom de se comunicar com fantasmas. Só que ela não teve muito tempo para aproveitar a fama. Ela morreu aos 12 anos, logo após ter filmado Poltergeist III. Heather acordou certo dia vomitando e sem conseguir comer nada. Sua mãe então percebeu que ela estava com os pés inchados e os dedos roxos. A atriz teve uma parada cardíaca no hospital e não resistiu. Descobriu-se que ela tinha uma estranha obstrução intestinal, que causou sua morte.


A morte de Heather chocou a mídia na época, já que a menina estava em ascensão na carreira e era considerada uma promessa. Logo que a menina morreu, os boatos da maldição nos sets de filmagens dos três filmes da série ganharam ainda mais força, já que outros acontecimentos estranhos e outra morte já tinham ocorrido.



Crime brutal

A atriz Dominique Dunne, que interpretava a filha mais velha da família do filme (de blusa listrada na foto acima), foi a primeira pessoa do elenco que morreu. Aos 22 anos, pouco depois que o filme chegou aos cinemas, Dominique foi estrangulada pelo namorado, ficou em coma por alguns dias, mas não resistiu. De acordo com registros da época, o namorado da atriz era ciumento e ficou ainda mais descontrolado com o sucesso repentino dela por conta do filme de terror. Outra curiosidade macabra é que, para encobrir os gritos de Dominique, o rapaz colocou a trilha sonora dePoltergeist para tocar bem alto. Nas continuações, ela foi substituída pela atriz Meg Tilly.




Mais mortes

Além das mortes das atrizes, o ator Julian Beck, que interpretava o reverendo Henry, morreu de câncer durante as filmagens de Poltergeist II. O diretor do filme, Brian Gibson, morreu de sarcoma de Ewing, um tipo de câncer que atinge crianças e adolescentes, sendo bastante raro nos adultos com mais de 25 anos. Gibson tinha 54 quando morreu da doença. O ator Will Sampson, que interpretou um índio nativo que ajudava a família no segundo filme, morreu um ano após as gravações por complicações em um transplante de coração.




Equipe em perigo

Além das mortes,  a equipe técnica do filme passou por várias situações estranhas, como objetos caindo, coisas surgindo em lugares nos quais não estavam antes e barulhos que ninguém sabia de onde vinham. A atriz JoBeth Williams, que viveu a mãe da família do filme, relatou uma coisa bem estranha. Um dia ela chegou em casa e todos os quadros de sua decoração estavam tortos. Ela os arrumou e, no dia seguinte, foi trabalhar normalmente. Quando voltou, os quadros estavam novamente fora do lugar e isso se repetiu diversas vezes. A atriz contou que não tinha como outra pessoa fazer aquilo...



Sufocado de verdade

Em uma das cenas mais assustadoras do filme original, o filho do meio da família é estrangulado por um boneco de palhaço. Foi revelado depois que o filme foi lançado que, durante a cena, um acidente aconteceu e Oliver estava sufocando de verdade. A equipe quase não percebeu que aquilo era real, já que a cena era, justamente, de um sufocamento. Por pouco Oliver não morreu.




A casa amaldiçoada

Na trama de Poltergeist, a família Freeling se muda para uma nova casa, que parece ser amaldiçoada. Estranhamente, a casa na qual o filme foi gravado quase foi totalmente destruída por um terremoto anos depois das filmagens.



A fumaça estranha

A atriz Zelda Rubenstein fez uma sessão de fotos para Poltergeist III e uma estranha fumaça, que não estava no local, surgiu em uma das fotos. Zelda contou posteriormente em entrevistas que sua mãe morreu no mesmo momento em que aquelas fotos foram tiradas...




Esqueletos de verdade

Um boato que circula na internet diz que foram usados esqueletos de verdade nas filmagens do primeiro Poltergeist, já que na época seria mais barato comprar de um depósito médico do que mandar fazer esqueletos de plástico.




A nova versão de Poltergeist — O Fenômeno chega aos cinemas nesta quinta-feira (21) e adapta a mesma história da versão original para os tempos atuais, como uma espécie de homenagem aos mais de 30 anos do lançamento do filme.



Fonte: Portal R7
Share on Google Plus

About Wesley Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário