As 5 assassinas em série mais famosas da histórias

Existe uma centena de filmes de serial killers com fatos verídicos ou inventados. O tema é tão discutido por alguns, que existem pessoas que realmente se dedicam ao assunto.

Como bem sabemos, serial killers geralmente têm alguns traços de personalidade característicos, como o abuso (seja por violência ou sexual) durante a infância, a incapacidade de sentir arrependimento ou culpa e o prazer em ver o sofrimento de seres vivos, que geralmente é aplicado com criaturas mais fracas, como animais de estimação e crianças mais novas ou menores.

Porém, a maioria dessas histórias traz criminosos do sexo masculino. Chegou a hora de você também conhecer mulheres que foram as responsáveis por mortes terríveis.

5. Joanne Dennehy




Joanne Dennehy é uma das três mulheres mais perigosas da história criminal inglesa. Seus atos foram tão terríveis que ficou decidido que ela nunca poderá ser solta da prisão. Mãe de duas crianças, é maluca por sangue. Ela esfaqueou três homens até a morte em Peterborough (Inglaterra). Dez dias depois, viajou para Hereford e também matou com o auxílio de uma faca dois homens aleatórios que passeavam com seus cachorros (com uma diferença de apenas nove minutos entre um e outro!).

Ao contrário do que você pode estar pensando, ela não faz isso por algum tipo de justiça, mas sim por diversão. Nas palavras dela, “eu quero diversão. Eu preciso disso para me divertir!”. Ao conversar com um psicanalista, ela disse que sente um prazer irresistível em matar esses homens. No total, 9 pessoas do sexo masculino morreram nas mãos dessa serial killer.

4. Maria Catherina Swanenburg



A holandesa Maria Catherina Swanenburg foi a responsável pela morte de pelo menos 27 pessoas. O motivo? Conseguir o dinheiro das heranças e seguros. Aparentemente ela era muito querida por todas, inclusive cuidava das crianças e dos idosos do seu bairro. Porém, existem registros de que ela envenenou mais de 100 pessoas. Dessas, 16 eram parentes (até os seus pais entraram nessa cilada) entre 1880 e 1883. Os que não morreram carregaram problemas de saúde para o resto da vida.

Seu disfarce caiu quando ela tentou envenenar a família Frankhuizen. Depois disso, ela foi considerada uma serial killer, foi presa e acabou morrendo na cadeia, em 1915.

3. Marie Delphine Lalaurie



Quem já assistiu American Horror Story já está familiarizado com a história da serial killer Marie Delphine Lalaurie. Socialite do século XIX, é considerada uma das primeiras mulheres a cometerem assassinatos em série. Marie ficou conhecida por torturar e matar seus escravos.

As histórias em torno dessa madame diziam que ela tinha um quarto de tortura nos andares de cima da sua casa, e que quem era mandado para lá nunca mais voltava. Homens da justiça da época procuraram esse tal quarto, e encontraram no caminho uma série de escravos mutilados pendurados pelo pescoço por correntes de ferro.

Dizem que mais de 100 pessoas sofreram na mão dessa cruel serial killer, que fugiu antes de ir para a cadeia e se mudou para Paris.

2. Jeanne Weber



Jeanne Weber nascida em 7 de outubro de 1874 foi uma serial killer francesa. Ela estrangulou 10 crianças, incluindo a própria filha. Depois que ela foi condenada em 1910, ela enforcou -se em sua cela.

1. Aileen Carol Pittman



Aileen Carol Pittman, conhecida como Aileen Wuornos, foi uma prostituta considerada a primeira mulher assassina em série dos Estados Unidos.

Sua primeira vítima foi Richard Nallory, um eletricista de 51 anos encontrado no dia 13 de dezembro de 1989 perto de Daytona Beach com três tiros. Aileen o matou após ter sido, por ele, espancada, estuprada e ameaçada de morte. Ao que tudo indica, sua primeira vítima foi feita em legítima defesa. Seis meses depois outro homem foi morto com seis tiros, e sem identificação. Matou ao menos seis homens, entre quem havia Charles Carskaddon, Peter Siems, Eugene Burress, Dick Humphreys e Walter Antonio.

Aileen foi encontrada junto com sua companheira Loreci Inre Casani através de denúncias. Na prisão, Aileen foi diagnosticada com transtorno de personalidade Borderline. Confessou os seis assassinatos e enviou uma carta ao tribunal, pedindo para ser condenada a morte. Declarou odiar profundamente a vida humana e que mataria novamente se fosse libertada. Depois de um longo julgamento e um exame psiquiátrico, foi condenada a morte e executada, por ordem de Jeb Bush, por meio de injeção letal no dia 9 de outubro de 2002.

Sua história rendeu um filme chamado Desejo Assassino. O filme rendeu o oscar de melhor atriz para a sul-africana Charlize Theron que representou Aileen como protagonista. O filme rendeu US$ 33,153,407.00.

Fonte: Fatos Desconhecidos
Via: Show Do Medo
Share on Google Plus

About Wesley Fernandes

1 comentários:

  1. Esqueceu-se de Elizabeth Bathory "A condessa sangrenta"

    ResponderExcluir