FAB nega caças; mistério sobre estrondo segue

 O astrônomo Julio Lobo no Observatório Municipal de Campinas
 
Dois profissionais da aviação relataram ter visto os caças supersônicos, no entanto a informação não foi confirmada pela Força Aérea Brasileira (FAB), que possui esse tipo de aeronave
Astrônomos que fazem um relatório ficam apenas com a hipótese de que o som tenha sido decorrente da explosão de um meteoro
A Força Aérea Brasileira negou na tarde da terça-feira (12) que qualquer caça ou outra aeronave tenha feito operação ou treinamento na região das cidades em que houve relatos dos estrondos misteriosos na manhã do sábado (9), dentre elas Campinas.
Com a informação, um grupo de astrônomos que fazem um relatório do ocorrido agora fica apenas com a hipótese de que o som tenha sido decorrente da explosão de um meteoro. "Preliminarmente acreditamos que houve uma explosão em grande altura e caído no mar", comentou o astrônomo Júlio Lobo, do Observatório Municipal Jean Nicolini, que pretende concluir um relatório com mapeamento do ocorrido entre quinta e sexta-feira.
 
 
Segundo o especialista, foram recebidos novos relatos de Piracicaba, Sertãozinho e Ubatuba. Até então havia relatos de Campinas, São Paulo, São Carlos, Caraguatatuba, Iracemápolis, São Sebastião e do Sul de Minas Gerais, sendo que em Ribeirão Preto foi visto um clarão.
 
 
A hipótese levantada anteriormente dava conta que dois caças F-5 da Força Aérea Brasileira (FAB) teriam quebrado a barreira do som.
 
Relatos
 
 
 
Os estrondos relatados aconteceram entre 4h30 e 6h, entre 8h30 e 9h e às 11h. Lobo afirma ter recebido mais de cem relatos, sendo 70 confiáveis - a maioria deles de que o estrondo aconteceu às 11h. "Infelizmente teve muita gente que brincou", ressaltou Lobo.
 
 
Em Campinas, ouviram o som misterioso moradores dos bairros Proença, Centro, Cambuí, Parque das Águas, Swiss Park, Parque Prado e San Martin e do distrito de Joaquim Egídio.
 
 
Os relatos também partiram de São Paulo, São Carlos, Caraguatatuba, Iracemápolis, São Sebastião e do Sul de Minas Gerais, sendo que em Ribeirão Preto foi visto um clarão.
 
 
Pelo menos seis pessoas do Exoss Citizen Science, rede de monitoramento de meteoros da qual Lobo faz parte, analisam o caso.
 
 
 
Impressões de internautas
 
 
 
"Eu ouvi o som que parecia mesmo de um supersônico. Fiquei com medo porque parecia que iria cair na minha casa. Moro no Valença 1, na região do Campo Grande". (Clara Leme)
 
 
"O mesmo barulho foi ouvido aqui na região de Guanhães, próximo a Governador Valadares (MG), por volta das 8h40, chegando a tremer algumas casas. Muito estranho". (Janaine Pareira)
 
 
"Eu e minha família acordamos com um tremendo estrondo neste horário e dia relatado na reportagem. Moramos na região do Campo Grande em Campinas, divisa com a cidade de Monte Mor". (Jose Carlos Carioca)
 

Share on Google Plus

About Wesley Fernandes

0 comentários:

Postar um comentário